Boa noite!  Domingo 19/11/2017 22:17


Descendente de poloneses, Vera Lúcia Faria Suchoj é uma metalúrgica que superou muitas dificuldades na vida. Hoje é aposentada, tem três filhos e quatro netos. Ao sair da JKS, empresa instalada na Vila Galvão, onde foi operadora de máquina em seu último emprego na metalurgia, ela encerrou uma vida de trabalho iniciada quando tinha apenas 12 anos de idade.

Sócia do Sindicato desde 1994, Vera diz ter orgulho de ter sido uma metalúrgica: "Meu marido Samuel, que faleceu há 22 anos, também era metalúrgico e trabalhava na Lavre. Com muita força de vontade, criei meus três filhos, tenho quatro netos e atualmente procuro curtir a vida, dando total apoio aos filhos e netos. Consegui tudo isso com uma profissão digna e respeitada em todo o Brasil".


Vera protesta em ato contra retirada de direitos

Na Atmag - Ao se aposentar, ao invés de parar, Vera continuou trabalhando e participando de dezenas de atos representando o Sindicato. Por nove anos ela contribuiu com a Atmag (Associação dos Trabalhadores Metalúrgicos Aposentados de Guarulhos), atendendo companheiros aposentados ou prestes a conseguir o benefício, e participando de assembleias, marchas e ações voltadas pela conquista de direitos de todos os metalúrgicos.

"Com esta filosofia de vida, de sempre procurar ajudar nossos companheiros, estive em assembleias e atos na avenida Paulista e cheguei a participar de algumas viagens. Estive, por exemplo, em duas marchas realizadas em Brasília, outras em Belo Horizonte e Rio de Janeiro, e em cidades do Interior paulista", conta.

Respeito - Por sua experiência em todos os anos como metalúrgica, e desde que começou aos 12 anos como costureira, Vera tem uma opinião: "Infelizmente, a mulher não tem o respeito que merece, por manter atividade profissional e ainda cuidar da família. Queremos e exigimos respeito, com os mesmos direitos que são garantidos aos homens. Não é justo que a maioria das companheiras recebam salários menores que os homens e ainda tenham de enfrentar assédio e desrespeito".

Saúde - Esta metalúrgica aposentada tem preocupação com a saúde das mulheres e valoriza campanhas como o Outubro Rosa, que visa a conscientização sobre o diagnóstico precoce do câncer de mama. Para Vera, a saúde deve ser uma preocupação constante. Ela comenta: "A mulher tem seus inúmeros afazeres, e não se preocupa com sua saúde. Deve pensar ao contrário. O câncer de mama é uma realidade, e pode ser evitado. Basta se cuidar".

Recado - Do trabalho, às ações sindicais e a criação dos filhos, Vera deixa um recado: "Para mim valeu em todos os sentidos a experiência pessoal e profissional conquistadas com o trabalho e a vontade de fazer sempre o melhor, em casa e na fábrica. Que a mulher nunca perca a esperança de uma vida melhor, e nunca desista desta luta".