Bom dia!  Domingo 21/10/2018 06:58

• 19/12/2017 - terça-feira

Edição novembro/dezembro
é especial com 12 páginas

O ano de 2017 foi o pior para a classe trabalhadora brasileira, em muitas décadas. Além da recessão prolongada, da grave crise política, ainda tivemos um ano inteiro de ataques a nossos direitos pelo governo Temer - um governo ilegítimo e a serviço do grande capital.

O período foi de intensas lutas e resistência. E nosso jornal de novembro/dezembro mostra isso, a começar pela manchete “Luta por direitos marca ações sindicais em 2017” - as páginas centrais relatam, mês a mês, o que foram essas ações.

Fábricas - Nossos diretores distribuem os jornais nas fábricas. Ao distribuir o material, eles também reforçam a importância das Convenções Coletivas, que foram renovadas na campanha salarial. Até esta terça (19), já houve entrega do Jornal Sindical na Dyna (Itapegica), Steel-Rol (J. Santa Helena), LJM (Jardim das Nações), Eletro Liga (Cumbica), Axxio Pisos (Vila Isabel), Visteon (Jardim Cumbica), Permetal (Vila Nova Cumbica), Truckvan (Cumbica), Omel (Cumbica), Rodcar (Cumbica), Granei (Taboão), Cerviflan (Vila Aeroporto), Croma (V. Aeroporto), TB Fil (Presidente Dutra) e Naville (Presidente Dutra).

Nosso vice-presidente Josinaldo José de Barros (Cabeça) afirma: “Os companheiros sabem que a nova lei trabalhista ataca os direitos. Por isso, eles valorizam a manutenção das Convenções, sem o que nem Piso salarial a gente teria mais”.


Trabalhadores recebem e leem o Jornal Sindical

Pereira - Para o presidente José Pereira dos Santos, “o ano de 2017 foi o pior em décadas”. Ele critica a subordinação do governo e do Congresso ao capital. “Temer está lá como despachante dos interesses do grande capital. E no Congresso Nacional são poucos os que se salvam”.

O presidente prega união e determinação. “Essa corja não vai conseguir acabar com o Brasil. O povo é mais forte que a elite podre. Vamos seguir na luta, de cabeça erguida, pois a razão está do nosso lado”, diz.

Sindicato - O jornal traz seguidos chamamentos por sindicalização e unidade. Por exemplo: não aceitar imposição de acordos individuais, não fazer homologação fora do Sindicato, não aceitar cortes em direitos.

Fique ligado. Em caso de problemas, ligue 2463.5300 ou procure as sedes de Arujá a Mairiporã.

Clique aqui e leia a edição online do Jornal Sindical


Jornal Sindical é distribuído nas portas de fábrica e também no nosso Sindicato


Diretor Antonio Francisco da Silva (Fala Mansa) distribui Jornal Sindical a trabalhadores


Categoria se informa através da publicação que é distribuída nas empresas da nossa base