Boa noite!  Terça 20/08/2019 23:44

• 01/2/2019 - sexta-feira


Sindicato reforça ações contra
redução de direitos na GM

O Sindicato participou na manhã desta sexta (1º) de encontro que debateu ações para enfrentar as ameaças da General Motors de deixar o País, caso os trabalhadores não aceitem corte em direitos para reduzir custos da empresa. A reunião, organizada pelo Movimento Brasil Metalúrgico, aconteceu na sede do Sindicato da categoria em São Paulo.

Nossa base foi representada pelo presidente José Pereira dos Santos e os diretores Eronides Rafael Galdino (Lula), Evandro Pereira e Adriano Alves de Oliveira (Madeira). 

De acordo com Pereira, esse encontro foi importante para unir os trabalhadores do Brasil, pois além do setor metalúrgico, outras categorias também marcaram presença.

Nosso presidente diz: “É uma reunião inteligente. Hoje estamos num momento que precisa de unidade no movimento sindical, pra combater esse capital selvagem. Capital que já provou que não consegue resolver o problema da vida social das pessoas. Só pensam no lucro e, cada vez mais, em ganhar às custas do trabalhador”. 


Reunião foi conduzida por Miguel Torres, presidente do Sindicato de São Paulo

Guarulhos - O presidente Pereira afirmou que as ameaças da multinacional também afetam a categoria na base territorial do Sindicato. “Prestamos serviços para as montadoras e, quando fazem ameaças, Guarulhos também sofre. Quem realmente produz são as autopeças e, quando enfrentam alguma dificuldade, jogam a conta nas costas do trabalhador. Temos que pressionar, porque as montadoras multinacionais estão destruindo a vida tanto do pequeno empresário, quanto do trabalhador”.

Entenda - A multinacional norte-americana lançou um comunicado em 18 de janeiro, alegando que supostas dificuldades exigem uma ampla reestruturação na empresa. Segundo os dirigentes do Brasil Metalúrgico, por trás de todo o alarde está a pretensão para obter mais lucros, aumentando a exploração e o ataque a conquistas históricas dos trabalhadores. 

A GM possui cinco fábricas no Brasil. Elas estão instaladas em São Caetano do Sul, São José dos Campos e Mogi das Cruzes, em território paulista, Joinville (SC) e Gravataí (RS).


Participaram da reunião, os diretores Evandro, Madeira, Lula e presidente Pereira