Boa tarde!  Segunda 17/06/2019 15:43
• 5/6/2019 - quarta-feira

Conheça e combata a reforma
da Previdência. É ruim demais!


O Dieese fez um resumo das principais maldades da PEC 06/2019 (do presidente Bolsonaro). Ela corta direitos de trabalhadores da ativa, reduz a renda de aposentados e arrocha pensionistas. As principais prejudicadas são as mulheres. Leia. Conheça. E assine o abaixo-assinado contra essa maldade.

VEJA SÓ:


 • Dificulta o acesso ao beneficio aumentando o tempo de contribuição e a idade;

 • Reduz o valor do benefício de todos os trabalhadores;

 • Aumenta a contribuição da previdência para os que ganham acima de R$ 4.500,00;

 • Restringe o abono salarial a quem recebe salário mínimo;

 • Acaba com os direitos dos trabalhadores que já estão aposentados;

 • Desvincula o salário mínimo das pensões;

 • Cria idade mínima do trabalhador exposto a agentes nocivos químicos, físicos e biológicos (aposentadoria especial acaba!);

 • Cria a Capitalização, que privatiza a Previdência;

 • Reduz para R$ 400,00 valor do BPC do idoso pobre;

 • Cria a Capitalização, que privatiza a Previdência.

SAIBA MAIS:

- Mulheres, as mais prejudicadas
 
Em vez de se aposentar aos 55 anos (como é hoje), a mulher terá de esperar chegar aos 62. Para a professora, a diferença de idade com os homens não existirá mais. Ela irá se aposentar com a mesma idade do professor (60 anos).
Essas mudanças são muito duras, pois a mulher trabalha fora, cuida da casa, dos filhos ou mesmo de pais idosos. A regra muda também para a trabalhadora rural. A lavradora terá pouca chance de se aposentar!
 
- Metalúrgico não vai receber abono do PIS

 
Hoje,  o metalúrgico da nossa base que ganha entre um e dois salários mínimos tem direito ao PIS. Esse abono fica, na prática, em um salário mínimo. A PEC de Bolsonaro só prevê pagar PIS pra quem ganhar até um salário mínimo. Como o Piso do metalúrgico varia de R$ 1.354,00 a R$ 1.900,00, ninguém da nossa categoria vai mais receber abono. Para o Dieese, isso vai tirar perto de R$ 12 milhões do trabalhador e da economia local.
 
- Aposentado que trabalha perde no FGTS
 
Muita gente se aposenta e continua trabalhando. Até agora, a regra é: ao ser demitido sem justa causa, o companheiro recebe 40% a mais sobre o saldo do FGTS. Se a reforma do Bolsonaro passar no Congresso, ninguém mais receberá esses 40%.
 
FIQUE ATENTO

Se oriente, sempre, no Sindicato: 2463.5300.

Clique aqui e saiba mais sobre a reforma da Previdência.