Boa noite!  Segunda 18/12/2017 18:26

Diretoria "União e Ação" 2017 - 2021


Diretoria Executiva

 



José Pereira dos Santos
Presidente

José Pereira dos Santos teve seu primeiro contato com o setor metalúrgico aos 23 anos, trabalhando na área de segurança no grupo Microlite. Posteriormente, ingressou na atividade como controlador de qualidade. Atuante e ligado às lutas salariais e por melhores condições de trabalho, foi construindo uma sólida liderança e chegou à direção do Sindicato em 1987, aos 27 anos, como diretor suplente. Por sua atuação, sobretudo nas questões de saúde e segurança, Pereira foi eleito diretor efetivo em 1990, ocupando a vice-presidência. Entre 1993 e 1997, ocupou a secretaria-geral da entidade. No final de 2000, quando o então presidente Francisco Cardoso Filho (Chicão) se elegeu vereador, Pereira assumiu o cargo. Foi reeleito em 2001, 2005, 2009, 2013 e 2016. Atualmente, preside a CSPLP (Comunidade Sindical dos Países de Língua Portuguesa) e é secretário de Formação da Força Sindical.

Josinaldo José de Barros (Cabeça)
Vice-presidente

É metalúrgico desde 1987. Entrou na Maxion (ex-Borlem) em 1993, empresa em que está até hoje. Sempre participou das lutas e movimentos reivindicatórios. Foi um dos líderes da famosa “Greve Andorinha”, em 1995, quando a então Borlem parou por cinco dias. Na época, Cabeça era vice-presidente da Cipa. Sua atuação na fábrica, fez com que os colegas o vissem como um líder na luta pelos direitos do trabalhador e por segurança no trabalho. Foi convidado para fazer parte da chapa que conquistou a diretoria do Sindicato em 2001. Naquela gestão, foi suplente da diretoria. De 2005 a 2009 era 1º secretario e em 2009 assumiu a vice-presidência, cargo que ocupa até hoje. É membro da diretoria executiva do Dieese, onde já ocupou a presidência.

Pedro Pereira da Silva (Zóião)
Secretário-geral

Zóião, como é conhecido, ganhou destaque na Umicore (antiga Degussa), onde é funcionário, participando das lutas pelos direitos dos trabalhadores. Foi vice-presidente da Cipa por duas vezes e participou de maneira expressiva da primeira comissão de PLR formada na empresa. Em 2000, Zoião começou a fazer parte da diretoria como diretor suplente. Na gestão 2005-2009, exerceu a função de 1º tesoureiro.

Alex Lima
1º secretário


Sempre preocupado com os direitos de seus companheiros da Valeo, (atual U-Shin) foi convidado a integrar a chapa eleita em fevereiro de 2009. A qualquer problema, ele sempre foi o primeiro a buscar solução, quer dentro da fábrica ou diretamente no Sindicato. Alex atuou como monitor de ginástica laboral (exercícios para aliviar o estresse). Desde que foi contratado na então Valeo, também cuida de atividades esportivas. Sua dedicação ganhou destaque e, hoje, representa não só seus companheiros da empresa, mas toda a categoria metalúrgica.

Célio Ferreira Malta
2º secretário

É funcionário da Grazzimetal. Metalúrgico desde os 15 anos, iniciou sua trajetória sindical participando de cursos de Cipa e seminários para ativistas realizados pelo Sindicato. O espírito de liderança, junto com os conhecimentos adquiridos no convívio sindical, levou ao convite para fazer parte da diretoria como suplente. Em 2001, foi eleito secretário-geral; em 2005, assumiu a vice-presidência. Na última gestão fez parte da diretoria executiva como secretário-geral.


Antonio Francisco da Silva (Fala Mansa)
Tesoureiro geral

Trabalha atualmente na Dyna, onde desenvolve amplo trabalho em prol da conquista de benefícios e garantia de segurança no trabalho para os empregados. Há mais de cinco anos é brigadista, instrutor de ginástica laboral, participa das atividades esportivas na empresa e faz parte da reunião da SA 8000 (que recebe e orienta todo tipo de reclamação dos funcionários). Por sua dedicação em favor dos companheiros, foi convidado para integrar a chapa eleita em 2009.


Josete Machado Filho (Pepe)
1º Tesoureiro

Pepe sempre teve grande influência entre os funcionários da Visteon, empresa onde é funcionário há 21 anos. Por isso, foi indicado pelos colegas de trabalho a integrar a chapa “União e Ação”. Desde 2001, é suplente do conselho fiscal, tendo presença de destaque em todas as manifestações trabalhistas em que o Sindicato participa. Tem atuado com firmeza nas lutas em defesa dos direitos dos metalúrgicos.

Diretoria Suplente

José Carlos Santos Oliveira (Chorão)

Funcionário da MTP há oito anos, participa de todas as atividades na empresa, além de sua intensa atuação sindical. Foi convidado para integrar a chapa “União e Ação” por desfrutar de alto conceito no ambiente de trabalho. Sempre lutou por melhorias para seus companheiros. Na MTP, foi integrante ativo da Cipa, em 2008. Também participou da comissão de fábrica que negociou a PLR na empresa em 2005. Faz parte das atividades esportivas na MTP desde 2004.

Ricardo Pereira de Oliveira

Funcionário da WEG por nove anos, sempre participou das lutas sindicais na empresa. Fez parte de várias comissões internas (negociação de PLR, melhoramentos internos e segurança do trabalho) e pertenceu à brigada de incêndio por muitos anos. Foi convidado para integrar a chapa “União e Ação” por suas ações voltadas ao bem-estar dos colegas do chão de fábrica. Atualmente é funcionário da GVS.

Roseli do Carmo Lima de Paula

Natural de Guarulhos, esta mulher batalhadora é funcionária da Marilia desde 2004. Começou a trabalhar como fiscal de caixa de supermercado, onde ficou por três anos. Em 1998 ingressou no setor metalúrgico, como funcionária da VDO. Na Marília, onde está até hoje, começou como montadora. Foi cipeira duas vezes, fez parte da Sipat e foi integrante da comissão de negociação da PLR. Por sua atuação na empresa, foi chamada a fazer parte da atual diretoria do Sindicato.

José João da Silva (Jau)

Mesmo antes de trabalhar na Tecfil, onde é funcionário desde 1997, Jau já fazia parte do movimento sindical. Como delegado sindical, em 1994 e 1995; e cipeiro, de 1998 a 2001. Sempre demonstrou ser um grande aliado do Sindicato, auxiliando e conscientizando os companheiros sobre seus direitos. Por conta disso, surgiu o convite para compor a chapa na eleição de 2001. No primeiro mandato, como diretor suplente. Na gestão anterior, ocupava o cargo de 1º tesoureiro.


Márcia de Aquino Meira

Esta paulistana é metalúrgica há 17anos. Casada e com uma filha pequena, Márcia trabalhou por nove anos na NVJ, empresa que encerrou atividades, e há oito anos é auxiliar técnica na Continental. Em seu primeiro mandato como diretora do Sindicato, Márcia tem o objetivo de "ajudar o trabalhador e dar o melhor de mim para que direitos sejam mantidos e outros conquistados".


Raquel de Jesus

Baiana de Monte Santo, e aos 29 anos de idade, Raquel está há oito anos em seu primeiro emprego: é operadora de máquinas na Bristol. Com participação ativa em todas as ações em sua empresa, e sempre em defesa dos companheiros, Raquel faz parte da diretoria e tem um ideal: "Tenho muito o que aprender nesta função, mas vou me dedicar ao máximo e lutar pelos direitos dos trabalhadores".

 

Conselho Fiscal - Efetivos


Augusto Valdomiro Knupp

Por todas as metalúrgicas que passou, Knupp sempre foi um ativista. Liderou manifestações e incentivou a sindicalização dos companheiros. Reconhecendo nele um líder, a diretoria do Sindicato o convidou para integrar o colegiado. Seu primeiro cargo foi de suplente do Conselho Fiscal. Em 2005, foi eleito tesoureiro-geral. Hoje é funcionário da Modine, antiga Radiadores Visconde.

José Dilton Braga da Silva (Vanuza)

Diretor do Sindicato desde 1997, Vanuza foi convidado para compor a diretoria por conta de sua liderança entre os colegas da empresa Alumínio Penedo, onde trabalhava desde 1985. Hoje, é funcionário da HNR. Além do trabalho interno, desenvolvido como integrante de comissões de fábrica, Vanuza se elegeu para a direção da Cipa por três vezes. No Sindicato, foi suplente da diretoria por dois mandatos consecutivos, nas gestões iniciadas em 1990 e 1993. Na gestão seguinte, deixou o cargo de suplente durante o mandato para assumir como 1º tesoureiro. Em 2001, foi tesoureiro-geral.

 Daniel Hermínio Estevam

Em 1996, foi indicado pelos companheiros da empresa onde é funcionário, a Flexform, para compor a chapa “União e Ação”. Na empresa, desde 1980, foi cipeiro oito vezes e eleito delegado sindical por dois mandatos. Em 1997, ocupou a diretoria do Sindicato como diretor efetivo do Conselho Fiscal. Em 2001, foi 1º tesoureiro.

Conselho Fiscal - Suplentes

Evandro Pereira

Passou por diversas empresas metalúrgicas antes de entrar na Cindumel, seu emprego atual. Ele foi líder das paralisações que ocorreram na empresa, de 1990 a 1992, quando era delegado sindical. Foi cipeiro por duas vezes. Como representante da Cipa, desenvolveu um projeto para melhorar a segurança dos funcionários da fábrica. Por sua liderança e ações pró-ativas, foi convidado a integrar a diretoria.

Adriano Alves de Oliveira (Madeira)

Natural do município de Araripe (CE), em 21 de fevereiro de 1967, Adriano veio para Guarulhos em julho de 1986. Foi morar na Vila Barros, onde reside até hoje. É casado e tem um filho. Deixou toda a família no Ceará (pai, mãe, e os três irmãos). Começou a trabalhar em uma padaria na Vila Fátima. Em pouco mais de um mês, entrou na metalúrgica Vogue. Em 1988 foi contratado pela Rio Negro (atual Soluções Usiminas), onde permanece até hoje como conferente.

Eronides Rafael Galdino (Lula)

Já passou por grandes empresas metalúrgicas como Cindumel, Hayes Lemmerz (antiga Borlem) e Aratel. Em 1999, sempre preocupado na defesa dos direitos dos trabalhadores, comandou uma paralisação na Tower, empresa da qual é funcionário desde 1996. Por sua liderança, foi convidado a participar da chapa “União e Ação”. Seu primeiro cargo foi de diretor suplente. .

Delegados à Federação - Efetivos

José Barros da Silva Neto

Barros sempre fez questão de participar das lutas em defesa dos direitos do trabalhador, destacando-se na Yamaha, onde trabalha desde 1.999. Foi vice-presidente da Cipa por duas vezes, integrou comissões de negociação da PLR, fez parte da equipe de esportes e chegou à diretoria do grêmio da empresa. Convidado para fazer parte da chapa vitoriosa em 2001, foi eleito suplente da diretoria no primeiro mandato. É um dos diretores responsáveis pelo Departamento de Esportes do Sindicato. Na atual diretoria, ocupa o cargo de 1º secretário.

Elenildo Queiroz Santos (Nildo)

Considerado pelos companheiros de trabalho na Bardella como líder nato, em 1997 iniciou um protesto dentro da empresa incentivando os outros funcionários a reivindicar seus direitos. Neste mesmo ano, foi convidado a integrar a diretoria do Sindicato. Entrou como suplente. Na gestão 2001-2005, assumiu como diretor de patrimônio. Na última gestão, foi diretor do Conselho Fiscal e continua sendo coordenador do Departamento de Segurança e Saúde do Trabalhador (DSST-Cipa).

Delegados à Federação – Suplentes

Eduardo Apóstolo Santos Oliveira (Tieta)

Tem forte ligação com o Sindicato, participando das atividades ora como diretor, ora como assessor. Na gestão anterior, foi responsável pela administração da Colônia de Férias em Caraguatatuba. Seu trabalho rendeu elogios, principalmente por parte dos associados. Em sua gestão, foram feitas várias reformas nas instalações. O atendimento recebeu elogios. Tieta nasceu em Conceição do Coité (BA) e veio para São Paulo em 86, com 18 anos. Chegou e foi trabalhar na Jofre, como prensista. Trabalhou por 25 anos na Zito Pereira.

José Pedro da Silva (Carioca)

Há mais de 25 anos trabalhando como metalúrgico, Carioca foi chamado a integrar a diretoria “União e Ação” por sua presença marcante nas lutas em prol da categoria. Foi dele a iniciativa de reivindicar um refeitório para os trabalhadores na Joalmi. Integrou a brigada de incêndio, participou de cursos de primeiros socorros, além de ser um incentivador das atividades esportivas. Em 2008, ganhou o título do Campeonato de Futebol dos Metalúrgicos como técnico da equipe da empresa.