Bom dia!  Terça 23/07/2019 07:02

• 7/6/2019 - sexta-feira


A mãe dos associados

Ela é figurinha carimbada em todos os eventos promovidos pelo Sindicato. É querida por todos os diretores e funcionários da entidade. Atenciosa, vaidosa e adora bater um papo. Estamos falando da metalúrgica aposentada e uma das primeiras sócias do nosso Sindicato, Leodora Francisca Camargo Sabino, que completou 88 anos, dia 7 de junho.



Diretoras Roseli, Márcia e Raquel visitaram dona Leodora, que encerrou o Mês das Mães


Considerada a mãe dos associados pelo presidente José Pereira dos Santos, dona Dora, como é chamada, foi eleita a personagem do mês. Afinal, em maio homenageamos as gestantes e mães metalúrgicas da base e não poderíamos encerrar as atividades sem um tributo à mãe das mães.

Dona Dora recebeu as diretoras do Departamento Feminino, além dos profissionais da área de Comunicação, em sua casa na Vila Barros. A visita ocorreu dia 24 de maio. Ansiosa, ela nos esperava no portão vestida com a camiseta dos 55 anos do Sindicato – celebrados no ano passado. Com uma máquina fotográfica na mão, não titubeou e fez um registro da equipe.

Logo no quintal, expôs todas as medalhas e troféus que recebeu em homenagens prestadas pelo Sindicato. “Guardo com muito orgulho e carinho todos os presentes que recebi até hoje”, diz.

História - Fomos para o bate-papo e dona Dora começou a contar a sua história como metalúrgica e sócia do Sindicato: “Entrei na VDO em 25 de outubro de 1965, como ajudante de cozinha. Em 1969, o Sindicato foi na firma procurar quem queria ser sócio. Eu, de imediato, falei: quero”. A empresa é uma das marcas do Grupo Continental.

Sindicato - Ela fala com muito carinho do Sindicato, principalmente quando lembra dos benefícios que também tinha para o neto que criou. “Ele era meu dependente. Então, sempre usei o dentista, cabeleireiro e o levava para as festas”, conta. E continua: “O Sindicato sempre trouxe muita alegria pra mim. Mesmo quando parei de trabalhar, continuei participando dos eventos, revendo os amigos em shows. É gratificante”.

Pereira - Para dona Dora, nosso presidente a transformou numa celebridade. Perguntada o porquê, ela explica aos risos: “Eu era muito tímida. Tinha muita vergonha. E depois acabei acostumado, depois que o Pereira me chamou pra subir no palco pra fazer uma homenagem. Ele me transformou numa artista”.



Dona Dora mostra com orgulho troféus e medalhas recebidas pelo Sindicato


Homenagens - Ela lembra que tem três troféus e três medalhas. Todos como homenagem do Sindicato. “É muita alegria pra mim. Fico feliz da vida. Chego em casa contando pras minhas filhas. Agradeço muito todos os meus companheiros e companheiras de Sindicato. Os trabalhadores. Todos cuidam de mim nos eventos. Todos querem ajudar”, comenta.

Atividades - Além de participar dos eventos do Sindicato, dona Dora tem muitas atividades. “Eu frequento a Terceira Idade. Aprendi a bordar. Faço 15 minutos de bordado num dia, dez no outro, e quando vejo a toalha tá bordada. Agora, descobri o Café com Viola (evento da prefeitura de Guarulhos). Minhas amigas me levam. E estou muito amiga de todos que compartilham. Dancei forró um dia. Tocaram sanfona pra mim. Tenho vergonha. Fizeram a maior festa quando dancei. Eu parecia uma artista”.

Ao final do bate-papo, dona Dora agradeceu mais uma vez a nossa presença, a atenção do Sindicato e do nosso presidente Pereira, a quem dedica uma gratidão especial. “Ele é uma pessoa que fez muito por mim e faz ainda”. E deixou uma mensagem: “Que Deus abençoe todas as mães, com vida, saúde, paz e alegria”.

Depois, não poderia faltar um gostoso café caseiro com pão, bolo e uma boa conversa!


Departamento Feminino entregou flores à dona Dora