Sindicato dos Metalúrgicos de Guarulhos e Região
Telefone (11) 2463.5300 / E-mail sindicato@metalurgico.org.br

 
• 11/2/2020 - terça-feira

Guarulhos tem retomada muito
lenta no nível de emprego

O economista Rodolfo Viana, da subseção do Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Sócioeconômicos) no Sindicato, fez levantamento sobre geração de emprego em Guarulhos no ano passado. E os números não são otimistas. Ele afirma que “serão necessários 15 anos para retomar o nível de emprego de 2014, a melhor época”.


Economista Rodolfo Viana, da subseção do Dieese

Rodolfo mostra: “Dos 644.079 empregos gerados no Brasil no ano passado, 184.133 estão em São Paulo; 109.736 na Região Metropolitana; e 1.670 em Guarulhos”.

Segundo o economista, o saldo em Guarulhos não condiz com seu potencial. Ele afirma: “A cidade tem o 15º maior mercado de trabalho formal do País; perdeu a 14ª posição em 2016 para São Luiz (MA) e é o terceiro maior empregador em termos municipais do Estado, atrás da Capital (com 4,9 milhões) e Campinas (com 406 mil)”.

Mais números - Para Rodolfo “serão necessários 25.830 empregos para Guarulhos voltar ao patamar de 2014, seu melhor ano, quando tinha 357.417. O número atual (331.587) é próximo ao de 2010 (327.525). Mas há um ponto positivo, porque 2019 foi o segundo ano com geração de emprego”.

A indústria de transformação é preocupante. “Se perdeu emprego bem antes de começar a crise nacional. Foram 31.166 empregos perdidos no setor entre 2010 e 2019. O que representa uma queda de 27,1%. Já o setor de serviços se recuperou da crise (3.609) e o de comércio está praticamente no mesmo patamar de 2014”, informa o economista.

Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home
Receba nossa Newsletter: Nome Email